Pessoas inspiradoras

Em ato de bondade, desconhecidos oferecem o que têm para ajudar homem que passava frio no metrô

É surpreendente ver como as pessoas estão dispostas a ajudar o próximo, basta apenas um empurrãozinho.



Ajudar o próximo é uma das atitudes mais honrosas que existem, principalmente quando esse apoio surge no coração de quem o realiza sem esperar nada em troca, nem mesmo visibilidade.

Quando nos sentimos tocados com a história de alguém, e percebemos que podemos, de alguma forma, minimizar um pouco daquele sofrimento, entendemos que o sentimento é genuíno.

Mesmo assim, é importante que cada vez mais pessoas vulneráveis recebam ajuda e tenham suas vozes amplificadas pelos que possuem acessos. Não é delicado fazer uma ação social apenas para compartilhar nas redes sociais, mas se a visibilidade impulsionar aquele movimento, devemos reconhecer que talvez seja melhor que tudo se torne público.


Romantizar o sofrimento, por mais que angarie muitas curtidas e visualizações, não é ético. O sofrimento humano não deve se tornar um espetáculo para que os outros prestigiem, pois fazer da vulnerabilidade social palco para mais engajamento não deve ser encarado como algo decente.

Mas sempre que nos deparamos com um vídeo ou história despretensiosa de alguém que recebeu ajuda ou de pessoas que foram tocadas e decidiram dar o que tinham, percebemos quão mágico e belo é saber que esse tipo de gente ainda existe.

Na rede social LinkedIn, viralizou recentemente um vídeo em que a solidariedade contagia várias pessoas dentro de um metrô. Um senhor sem camisa é filmado dentro do meio de transporte, sentado, tentando fugir do frio que sentia. É possível vê-lo segurando os próprios braços, como se estivesse buscando se aquecer de alguma forma.


A informação compartilhada nas imagens é de que ele estava indo para um albergue naquela ocasião, onde passaria a noite. Aparentemente, achamos que ninguém ali está prestando atenção naquela situação, mas essa impressão dura poucos segundos. Em alguns instantes, um homem de vermelho vai em direção ao senhor, tira sua camisa branca e sua jaqueta para oferecer a ele.

Direitos autorais: reprodução LinkedIn/Aureo Villagra.

Direitos autorais: reprodução LinkedIn/Aureo Villagra.

Direitos autorais: reprodução LinkedIn/Aureo Villagra.


O jovem não apenas dá suas roupas, como também veste aquele senhor. É como se estivesse dizendo que tudo ia ficar bem, que a partir daquele momento ele não passaria mais por nenhum sofrimento e todos saberiam da sua história. Enquanto veste o idoso, com o metrô em movimento, algumas pessoas começam a observar aquela situação, demonstrando curiosidade.

O rapaz acaba ficando de regata, mas não se importa em passar frio, já que sabe que será apenas momentâneo, enquanto aquele senhor poderia ter de ficar a noite inteira naquela situação. Assim que o ajuda, ele sai das filmagens, indo para trás da pessoa que está registrando o momento.

Em apenas alguns instantes, outra pessoa, vestindo uma jaqueta preta, aproxima-se do idoso, abre sua mochila e lhe oferece um sanduíche e uma bebida que carregava, provavelmente para si mesmo.

O homem se afasta e uma senhora, que estava sentada ao lado do idoso e observa atentamente tudo aquilo, tira lenços umedecidos da bolsa e se oferece para limpar as mãos do desconhecido. Ela viu que ele estava com muita fome, pois já abria os alimentos. A pessoa que está filmando tudo aquilo se aproxima e cumprimenta o senhor, que dá um lindo e agradável sorriso. A boa ação é mesmo contagiante!


Depois de 47 anos sofrendo maus-tratos, elefantinha cega dá os primeiros passos para a liberdade!

Artigo Anterior

“Vergonha é ser medíocre”, diz jornalista que foi humilhada por vender salgados nos fins de semana

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.