EU AMO MINHA LIBERDADE, ENTÃO DEIXO AS PESSOAS QUE AMO LIVRES

Muitas vezes nos apegamos a alguém que amamos com a ilusão de que não deixará de nos amar, não deixará o nosso lado, não percebendo que é necessário dar liberdade para construir um amor saudável e equilibrado.

O fato de alguém não nos amar, afeta o nosso ego, mas é importante aprendermos a gerirmos nossas emoções e amarmos a nós mesmos antes de amarmos outra pessoa.

“Se não te amam, não suplique nem ajoelhe-se. O amor não se suplica ou exige, acontece. E se não acontecer, se retire com dignidade e siga em frente.” – Walter Riso

O apego emocional

Uma das razões pelas quais achamos difícil deixar alguém ir, respeitar a sua liberdade, é o apego emocional.

O apego emocional é um vínculo mental e emocional geralmente de caráter obsessivo para determinadas pessoas, originado na crença irracional de que esta ligação irá proporcionar prazer, segurança e autorrealização.

Como resultado do acima exposto, a pessoa com apego emocional sente que sem a pessoa com a qual está ligada não vai ser feliz, não poderá atingir os seus objetivos e não terá uma vida normal.

A primeira coisa a fazer para superarmos o apego emocional, é ver se estamos realmente dependentes de alguém ou se, pelo contrário, sentimos algum destes sintomas de apego:

  • Necessidade de estar perto de seu amado.
  • Ansiedade e desconforto, se não está com o seu amado.
  • Alto nível de obsessão, comportamento controlador com a outra pessoa.
  • Priorizar o seu amado sobre as atividades que gosta de desfrutar ou outras pessoas com quem gostaria de estar.

Se você analisar a sua situação e ver que os sintomas acima se encaixam, você pode encontrar-se em situação de apego emocional.


Como você pode superar o apego emocional e libertar-se?

1. Seja realista

A ferramenta mais poderosa contra o apego é: ser realista. Ver as coisas como elas são em relação ao amor, sem anestesia, sem enganos. O amor é sempre um risco, mas você precisa ver a realidade.

  • Se não te admiram, não te amam.
  • Se não te respeitam, não te amam.
  • Se você está com alguém que não faz você se sentir bem, esse alguém não te ama.
  • Se você está com uma pessoa que compromete seus valores, essa pessoa não te ama.

Ame sua liberdade, ame sua solidão. Ame ser livre, desfrute de sua liberdade. Faça as pazes consigo mesmo. Fique com a sua solidão, aprenda com ela, experimente-a, ame-a e ame a si mesmo.

“O amor não reivindica a posse, mas dá liberdade.” – Rabindranath Tagore


2. Busque o silêncio

Desligue a TV, computador, celular e desfrute do silêncio do isolamento. Seu cérebro vai relaxar.

Além disso, através do silêncio encontramos tempo para entrarmos em contato com nós mesmos.


3. Aprenda a distinguir paixão e amor

Muitas vezes confundimos paixão e amor, não são os mesmos. A paixão dura um certo tempo, é atração, invade seu corpo e sua mente não vai te deixar pensar claramente, você não vê os defeitos do amado.

A paixão tem um número de características fáceis de serem identificadas:

  • A idealização da outra pessoa. Não vemos os defeitos do outro e tendemos a pensar nessa pessoa como alguém perfeito.
  • Exclusividade e posse. Eu quero que seja só meu.
  • Vício ao outro. Sentimos apega e desejo sexual pelo outro.
  • Ideia de permanência. Nós nos convencemos de que este sentimento é único, eterno, uma exceção.
  • Pensamentos obsessivos. Queremos controlar a outra pessoa e não paramos de pensar nela.
  • Apaixonar-se é realmente uma obsessão descontrolada.

Mas o amor é algo muito mais complexo, um conjunto de elementos que devem ser sempre administrados em conjunto: desejo, sexo, atração, amizade, a partilha, ternura e doçura.


Deixar a quem ama

Às vezes temos de deixar ir alguém que amamos justamente por isso, porque amamos essa pessoa, a deixaremos livre.

Temos de aprender a desistirmos de um relacionamento em três casos:

  • Quando você já não ama.
  • Quando a sua realização pessoal é afetada.
  • Quando seus princípios são violados.

Não resista à dor, chore, fale, grite, não a esconda, viva-a. Há um período de luto pelo qual você tem que passar, e embora pareça que nunca vai acabar, depois de um tempo, você vai se perguntar o motivo de ter se sentido tão mal por uma pessoa que não merecia.

Você tem que deixar algumas pessoas saírem de sua vida, para que outras possam entrar. Não há medicamento para a dor de uma ruptura, você tem que aguentar e resistir.

“Eu amo minha liberdade, por isso deixo as coisas que amo livres. Se voltarem é porque conquistei. Se não o fizerem é porque nunca as tive.” – John Lennon

 

___

Traduzido pela equipe de O Segredo

Fonte: La Mente es Maravillosa



Deixe seu comentário