Comportamento

Homem com braço amputado é multado por dirigir com braço para fora do carro

Capa Site Homem com braco amputado e multado por dirigir com braco para fora do carro

O comerciante de 72 anos, que não tem o braço esquerdo, foi multado por dirigir sem uma das mãos no volante.

O caso aconteceu em Vitória, a capital do Espírito Santo, onde um comerciante de 72 anos foi autuado por dirigir sem as duas mãos no volante, já que ele estaria com um dos braços fora da janela enquanto trafegava pelo centro da cidade. Porém o homem teve o braço esquerdo amputado.

O condutor afirma que poderia ter sido autuado por quaisquer outros motivos, cuja multa não teria a possibilidade de contestar, porém nesse caso ele tem amparo judicial, e afirma que já recorreu da multa, conforme o G1. O motorista desabafa, dizendo que, para ele, o Departamento Estadual de Trânsito capixaba deveria ter mais respeito pelos comerciantes da cidade e os usuários das vias de trânsito.

Ele foi autuado pela Polícia Militar, mesmo garantindo que era ele quem conduzia o veículo no horário que consta na notificação da multa. Seu carro é adaptado e, na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do condutor, consta uma limitação física, o que não impediu a notificação, que foi recebida em sua casa.

O motorista foi multado na Rua Graciano Neves, quando entrava com seu carro na garagem do restaurante do qual é proprietário, no dia 15 de dezembro último (2021). Segundo consta na notificação, o empresário conduzia seu veículo com um dos braços para fora.

2 Homem com braco amputado e multado por dirigir com braco para fora do carro

Direitos autorais: Reprodução/TV Globo.

A Polícia Militar do estado alega que não encontrou nenhum registro de que o carro guiado pelo comerciante possuía adaptação para pessoa com deficiência física, conforme o G1. Mesmo com a insistência do motorista de que era ele quem conduzia o veículo, a Secretaria Municipal de Segurança Urbana (Semsu) não descartou a possibilidade de que o veículo fosse conduzido por outra pessoa e não seu proprietário.

Ainda de acordo com a Semsu, na CNH dos condutores de veículos com algum tipo de deficiência, seja física, motora ou visual, precisa constar essa informação, para fins comprobatórios e de verificação em caso de abordagem ou ainda, como no cenário do motorista, de necessidade de recurso para contestação de multa.

Não há tantos registros de casos infracionais, como esse do qual condutor está sendo acusado, já que segundo dados do Detran, levantados pelo jornal A Gazeta, as infrações de trânsito mais registradas no Espírito Santo são as de excesso de velocidade. Em 2020, foram mais de 730 mil registros, o que equivale a 1,38 infração por minuto.

Ou seja, é como se a cada minuto entre 1º de janeiro a 31 de dezembro, uma infração fosse cometida. Segundo o jornal, o cálculo leva em conta todos os 366 dias de 2020, ano bissexto, e o número decimal (1,38) é resultado da divisão da quantidade de infrações (731,233) pela quantidade de minutos do ano (523,040).

O jornal revela ainda, por dados apurados pelo Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (Detran-ES), que as infrações com mais registro em 2020 têm relação com o tráfego de veículos acima da velocidade máxima permitida em via pública.

Foi construído, com essas informações, um ranking contendo as 731.233 infrações registradas em rodovias estaduais, avenidas e ruas, das quais mais de 400 mil se referem à velocidade acima do limite permitido, ou seja, mais da metade do total de infrações.

A primeira e segunda posições do ranking, respectivamente, mostram 330.695 infrações por transitar em velocidade superior à máxima permitida no local, excedida em até 20%, enquanto 64.750, em até 50%.

Conforme a Secretaria de Transportes, Trânsito e Infraestrutura Urbana (Setran), o condutor que queira recorrer de alguma multa deve fazê-lo em ambiente virtual, no site da prefeitura de Vitória e, caso encontre alguma dificuldade para isso, deve se dirigir, presencialmente, à sala 520 do Edifício CIAC, localizado na Enseada do Suá.

0 %