Oração: “nada de ira, nada de pressa, nada de receio, nada de tristeza”.

“Nada de ira, nada de pressa, nada de receio, nada de tristeza”.



Essa frase faz parte da prece de uma religião. Tão simples e ao mesmo tempo tão profunda, tão fácil de ser entendida e ao mesmo tempo tão difícil de ser praticada.

Se ao menos tentarmos fazer valer no cotidiano, a vida se tornará mais leve e mais prazerosa.

Pressa, nasci com ela. Imediatista, sempre quis tudo para ontem, embora entenda que vivo no agora e que tudo tem sua hora. O agora eterno é o único estado em que vivemos, então, não adianta querer tudo rápido porque as pessoas, situações e desejos necessitam de tempo para o amadurecimento ou para a manifestação, e o mais interessante é justamente desfrutar devagar do processo, da experiência, da interação, do sonho ou aprendizado.

Nada de receio. Como viver sem receio num mundo cada vez mais estampado em notícias fortes nas mídias sociais, nas esquinas, nos jornais? Como não ter medo de olhar enviesado, mal-encarado, de cara feia, de grito, de tiro, briga, escuridão? De “pega ladrão!”?


Acho que o medo é sempre um inimigo espreitando nossa ansiedade, nossos traumas, nossa preocupação, pronto para atacar sempre, minando nossa resistência ou esperança.

Não adianta temer situações que não podemos controlar. Claro que ter cuidado é sempre recomendável, andar alerta também, mas jamais deixar que medos com ou sem fundamento (alguns são criados por nós), perturbem nossa paz, nossa rotina, nosso lazer tão necessário ao equilíbrio emocional.

Solte aquilo que você não pode controlar e aproveite para cultivar bons sentimentos por tudo aquilo que o cerca. Gratidão é um bom começo, meio e jamais deve ter fim, porque as graças que recebemos se estenderão por toda a vida.

Nada de tristeza, essa é fácil. É muito mais fácil ser alegre que triste, é mais compensador para você e para todos. Problemas e infortúnios todos temos, mas, como gosto de enfatizar, tudo depende do seu olhar e da forma como encara seus momentos que podem ser de comédia ou drama, dependendo da sua atitude.


Se um problema ou situação difícil lhe desagradar e você ficar ruminando aquilo, deixar-se paralisar ou vibrar num estado negativo, tudo só tende a piorar.

Se acreditar que um fato desagradável vai lhe fazer mal ou causar dano, por certo o fará. A melhor atitude é seguir em frente, apesar de qualquer mágoa, pesar ou contrariedade, é não deixar espaço para que a tristeza se estabeleça ou permaneça mais que dois ou três dias.

Quando você sorri ou se alegra, ilumina tudo à sua volta, seus olhos brilham, você esbanja ânimo e isso contagia os demais.

Tristeza não traz nada de proveitoso, reclamação ou insatisfação também não, então que tal focar no que faz bem e se alegrar com cada acontecimento, dando a ele merecimento para uma celebração, sempre que possível? Viver é celebrar.

Quanto à ira, nada mesmo de ira, a raiva envenena principalmente quem sente. Quando você dá vazão à raiva, seu organismo libera toxinas muito prejudiciais à saúde. A famosa expressão “morreu de raiva” é verdadeira, muitas pessoas já morreram num acesso de raiva, com infartos, colapsos, AVCs, a lista é grande.

Outra coisa: você já se olhou no espelho quando está sentindo raiva? Já reparou como a ira tira de você sua beleza, sua serenidade, seu encanto? A ira transforma as pessoas, cega, não as deixa raciocinar. Controle seus sentimentos de fúria e assim evitará danos aos outros, a você e à paz de quem merece.

Assim, talvez, sua vida seja como uma prece, trazendo equilíbrio e harmonia para seus caminhos, escolhas e para enfrentar todos os momentos com alegria, ânimo, coragem, tranquilidade e amor.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: Spectral / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.