Comportamento

Simone: “Não estou nem aí. O melhor é aceitar os 72 anos, o corpo que eu tenho”

Capa Simone Nao estou nem ai. O melhor e aceitar os 72 anos o corpo que eu tenho

A cantora falou sobre a aceitação do seu corpo, conforme vai amadurecendo.

Uma cantora muito lembrada na época das festividades do Natal, Simone Bittencourt de Oliveira, ou apenas Simone, é a voz por trás do hit “Então é Natal”, mas se engana quem pensa que sua carreira fica estagnada em outras épocas do ano: com quase 50 anos de carreira, a baiana continua lançando canções e encantando com a sua voz.

Em uma entrevista à revista Marie Claire, Simone falou sobre seu novo projeto musical e as questões do amadurecimento quando se é mulher. Em sua nova música de trabalho “Haja terapia”, Simone fala sobre com às vezes “a vida é como uma estrada sem acostamento”, uma frase que ela acredita refletir bem o que viveu nos últimos dois anos, principalmente por causa da pandemia da covid-19 e suas mudanças no mundo.

Neste período marcante da humanidade — desde a gripe espanhola, o mundo não via uma pandemia, e as proporções do que ocorreu por conta da covid terão de ser estudadas por anos a fio —, Simone disse que buscou inspiração nos mistérios do mar, do céu, na lua e nas estrelas, focando sua veia artística num movimento que é sobre admirar o mundo à sua volta e ao mesmo tempo olhar para si, temas que pautam seu mais recente lançamento gravado no estúdio, um marco desde que ela dedicou os últimos dez anos aos palcos somente.

2 Simone Nao estou nem ai. O melhor e aceitar os 72 anos o corpo que eu tenho

Direitos autorais: Reprodução Instagram / @simoneoficial

A “Cigarra”, como a cantora também é conhecida, está numa nova fase com seu trabalho, em que ela decidiu adotar como conceito principal a transparência. E Simone afirma que este preceito irá pautar mais do que somente seu novo trabalho, mas também terá uma forte potência na sua vida.

A cantora contou ainda à Marie Claire que fez o ensaio fotográfico para a divulgação do single sem maquiagem. Essa sua simples atitude pode ser lida como controversa, uma vez que das mulheres é cobrada uma aparência impecável a todo momento, ainda mais se são pessoas públicas. No caso de Simone, o escrutínio só se intensifica, pois sua idade parece um tabu para a indústria do entretenimento, é como se as mulheres não pudessem envelhecer, quer seja mantendo a naturalidade de um rosto e corpo maduro ou se submetendo a procedimentos para aparentar ser mais jovem. Em qualquer lado que se escolha atuar, é como se elas simplesmente não pudessem vencer.

Simone, no entanto, disse que a experiência de fotografar sem maquiagem foi ótima, pois ela pôde tomar um banho de mar despreocupada — o local do ensaio era em uma praia. A cantora se divertiu na água, aproveitando seu momento no mar intenso. Naquela situação, ela não se sentiu censurada, não estava se importando a mínima com a opinião alheia.

Simone fala com tranquilidade que é uma mulher que assume sua idade sem rodeios, pois acredita ser melhor assim. Ela prefere se aceitar com seus 72 anos e com o corpo que tem, fruto de sua trajetória.

Sobre seu mais recente lançamento, Simone comenta que a composição lhe chamou a atenção pelo impacto da letra e da melodia. A canção assinada por Juliano Holanda teve a honra de ser gravada na voz de uma das cantoras de mais sucesso nos anos 1980 no Brasil e continua brilhando. Simone elogiou a forma como a música mostra o processo de lidar com nossas próprias questões e frustrações, falando que fragmentar o tempo em terapias nos ajuda a perceber o real tamanho das situações. É um processo íntimo e pessoal, mas bem traduzido na bela canção.

0 %