CrônicasFelicidadeO Segredo

Você não gosta de ser feliz

Você não dá a mínima para isso. Confesse.



Te torra a paciência esse negócio de ver as coisas dando certo.
Para você, a pior parte do dia é quando sorri.
E quando algo sai exatamente como você planeja? Aff, você odeia tanto.

Essa pessoa é você? A carapuça caiu bem?
Você não gosta de ser feliz.

Me deixa te explicar, presta atenção.
Para começar é preciso lembrar o que é ser feliz. Será que ser feliz é viver o que a gente quer ou viver o que a vida quer de um jeito que a gente gosta?


Pensemos, não é preciso muito para ser feliz, só é preciso usar a inteligência que todos nós temos – e não é uma inteligência de curso superior, é só aquela de respirar oxigênio.

Te digo que não gosta de ser feliz porque você não valoriza quando é.
O que te alegra o dia?
O atalho para a felicidade é alegria.


O quanto você comemora quando seu dia acaba bem? Você agradece por mais uma chance de fazer a sua parte para as coisas darem certo? Você se perdoa por insistir em mandar uma mensagem que não vai ser respondida? Você dorme com a paz da missão cumprida?

Você não gosta de ser feliz.
É só as coisas começarem a dar certo que lá vai você cavando motivos para criticar – você reclama até quando TUDO VAI BEM. É quando conhece alguém interessante e começa a procurar defeitos; é quando o aumento de salário vem, mas não é bastante; é quando a reunião é ótima mas poderia ser mais curta; é quando o trânsito está indo bem, mas não está perfeito. Você é responsável em assassinar a sua felicidade. Você transforma os minutos de alegria em segundos. Você perde o sorriso num piscar de olhos.

Presta atenção em como cuida da sua felicidade.


E não me venha com esse papo de ansiedade pois ansioso todo mundo é, no seu caso parece mais ser alguém que só vai se sentir feliz no dia que a vida acontecer como deseja. Mas, você precisa saber, isso raramente vai acontecer. Talvez nunca.

Então, por quê ao invés de reclamar do atraso no trabalho você não repara em como o seu cabelo acordou bom? Por quê ao invés de reclamar que não te ligaram no dia seguinte não lembra de como a noite passada foi gostosa? Por quê ao invés de reclamar que o aumento foi pouco não agradece por pelo menos ter tido? Por quê ao invés de reclamar por não ter ninguém, você não valoriza o fato de não ter um b$#*@ de alguém?

Você consegue ver o quanto parece não gostar de ser feliz? Consegue ver o quanto depende de você?

Os momentos da vida são como cabides numa arara de roupas.


Você vai lá, pega um e começa a investigar a peça. Alguma coisa te chama a atenção rapidamente e te agrada. Daí você vira para ver melhor e nota que tem uma parte ali que não é tão legal assim. Olha para outro lado, porém, e tem a surpresa de uma combinação perfeita. Moral da história: você olha a peça de roupa 1000x antes de definir se gosta ou não. E o mesmo deve acontecer com os momentos: antes de reclamar, olha também a parte boa.

É claro que você gosta de ser feliz.
Mas você esquece o quanto isso depende de você.

 


___

Originalmente Publicado em Um Travesseiro Para Dois

Você me deixa assim… E eu gosto desse começo com cheiro de futuro bom

Artigo Anterior

Carta minha, aos 30 e poucos anos, ao meu eu do passado…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.