4min. de leitura

Amor ao próximo: homem passa protetor solar em menino que vende bala na praia, em dia quente

Uma atitude de empatia viralizou nas redes sociais: banhista passou protetor solar em criança que vendia bala na praia.



Todos sabemos que criança não deve trabalhar, entretanto, essa é a infeliz realidade de muitos pequenos que precisam ajudar em casa desde cedo, por isso perdem oportunidades de estudar e construir a própria vida de maneira saudável.

As crianças que trabalham nas ruas fazem as mais diversas tarefas: lavam vidros de carro, engraxam sapatos e vendem os mais diversos tipos de itens, desde doces até acessórios pessoais, e estão sujeitas a muitas situações desagradáveis: preconceito, falta de educação, discriminação, calor, frio, fome, entre outras. Na maioria das vezes, nem mesmo são notadas, especialmente nos grandes centros urbanos, onde podem se tornar invisíveis em meio à multidão.

Por isso, quando acontece algum exemplo positivo envolvendo crianças, rapidamente viraliza na internet, porque as pessoas se sensibilizam e refletem sobre as próprias atitudes.


E um vídeo postado no Twitter, dia 26 de janeiro, vem comovendo muitos internautas por mostrar que ainda existem pessoas que se importam com o outro.

A usuária @NathMarts presenciou uma cena especial em um dia de praia: um menino vendia balas sob sol muito forte, sem nenhuma proteção; sua pele já estava queimada.

 

Um dos banhistas que estavam perto de Nath se preocupou com a situação da criança e a chamou para perto, para que pudesse passar protetor solar nela. “O moço chamou a criança tentando ajudar para (ela) não se queimar mais do que já estava”, disse Nath na publicação.

A gravação não mostra se o banhista não identificado comprou bala ou doou algum valor ao menino, mas sua atitude comoveu muitos usuários.

Do dia 26 de janeiro, quando a publicação foi feita, até agora, já são mais de 345 mil curtidas e muitos comentários de pessoas elogiando a atitude.

Crianças trabalhando é algo muito sério e errado, e cabe a todos nós lutar para que essa deixe de ser uma realidade comum em nosso país.

Nath comentou o caso dizendo que queria que o menino estivesse brincando em vez de trabalhar, e acrescentou que se sentiu feliz porque existem pessoas que se preocupam com as outras.

Através dessa publicação, certamente, muitas pessoas abriram os olhos para esse problema e compreenderam que podem fazer algo para ajudar quem necessita.

 

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos. Direitos autorais da imagem de capa: reprodução Twitter/@NathMarts.

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.