Pessoas inspiradoras

Aos 22 anos, jovem adotou 14 crianças africanas e deu-lhes um lar: “Sinto-me abençoada por ter 2 famílias”

capaaos 22 anos jovem adotou 14 criancas africanas e deu lhes um lar Sinto me abencoada por ter 2 familias

Uma história de muito amor, dedicação e superação. Confira!



Falamos muito por aqui sobre o valor da adoção, e hoje trouxemos uma história que é a verdadeira prova das transformações que esse ato de amor provoca, tanto na vida de quem é adotado, quanto para aqueles que adotam.

A britânica Letty McMaster tinha apenas 18 anos quando decidiu fazer um voluntariado em um orfanato na Tanzânia, em 2013, mas provavelmente não esperava que encontraria a realidade que lhe foi apresentada no local.

Conforme contou ao LADbible, sua intenção era passar apenas 1 mês no país africano. No entanto, ao se deparar com situações horríveis envolvendo as crianças, ele decidiu que ficaria por mais tempo e faria o possível para ajudá-las.


Letty disse que descobriu que as crianças que vivam no orfanato eram vítimas de abuso físico e mentalmente dos funcionários. Não tinham remédio, apoio médico e, dependendo de seu desempenho escolar, eram colocadas de volta às ruas. Ela ainda acrescentou que esses funcionários pegavam os dinheiros de doações de turistas para si, e que por muitas vezes as crianças comiam apenas uma vez ao dia.

Ao ver o impacto que essa situação estava causando nas crianças, a jovem disse que sentiu que as coisas precisavam mudar logo, e escolheu agir para conseguir encontrar um lar para as crianças.

2aos 22 anos jovem adotou 14 criancas africanas e deu lhes um lar Sinto me abencoada por ter 2 familias

Direitos autorais: reprodução Telegraph/Letty McMaster.

Nos anos seguintes, ela esteve constantemente viajando o Reino Unido e a Tanzânia, aprendendo a língua do país sozinha e usando seu próprio dinheiro para colocar 50 crianças na escola. Ao mesmo tempo, estudava para obter um diploma.


Letty lançou uma instituição de caridade chamada Street Children Iringa, e começou a arrecadar fundos para apoiar as crianças. Com o dinheiro conquistado no primeiro ano, ela pagou mosquiteiros, mensalidades escolares, uniformes e remédios para os pequenos.

Em 2016 o orfanato foi condenado pelo conselho e as crianças foram mandadas para as ruas ou para famílias distantes. Oito dessas crianças estavam completamente sozinhas, e Letty enfrentou meses de burocracia para conseguir aprovação para abrir um lar para elas.

Segundo o Telegraph, no final de setembro de 2016, ela recebeu a notícia de que agora era a responsável legal das crianças. Segundo a jovem, atualmente com 26 anos, esse foi o melhor momento de sua vida.

3aos 22 anos jovem adotou 14 criancas africanas e deu lhes um lar Sinto me abencoada por ter 2 familias

Direitos autorais: reprodução Telegraph/Letty McMaster.


Com os anos, Letty acolheu mais 6 crianças, que encontrou nas ruas ou que procuraram ajuda em sua instituição. Atualmente, ela é tutora legal de 14 jovens tanzanianos. A jovem diz que é como qualquer mãe que cria adolescentes, e que se sente muito abençoada por ter duas famílias.

Sob os seus cuidados, as crianças estão se desenvolvendo de forma positiva, destacando-se nos estudos e dando início as próprias jornadas profissionais.

Quando os jovens crescerem e seguirem seus próprios caminhos, Letty declarou que espera fornecer um lar para mais crianças nas ruas, e disse que também deseja ajudar as meninas da tribo Masai a escapar do casamento forçado e, conseguirem educação.

Que história incrível! Apesar da pouca idade, Letty assumiu um compromisso verdadeiro com as crianças, e os acolheu quando mais precisaram, ajudando a transformar sua história.


Uma prova de que a adoção pode verdadeiramente salvar vidas.

Compartilhe essa história tão especial em suas redes sociais!

De cabeça baixa e triste, cãozinho espera para ser adotado. Essa é a realidade dos abrigos!

Artigo Anterior

Menino ensina irmão mais novo a ler enquanto vende balões na rua. Sobrevivem juntos!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.