4min. de leitura

CIENTISTAS DESCOBREM QUE O ALECRIM COMBATE A DOENÇA DE ALZHEIMER!

Pesquisadores da Universidade de Northumbria descobriram uma substância que diminui drasticamente o aparecimento da doença de Alzheimer. A parte legal?


Você provavelmente já tem esta substância em seu pote de temperos.

Até mesmo os céticos da indústria médica estão achando esta descoberta notável – e não é difícil perceber o porquê.

O estudo de Northumbria é o primeiro a provar que o alecrim pode retardar o desenvolvimento de Alzheimer e melhorar a memória de pacientes saudáveis.


O estudo

cientistas-descobrem-que2

Os pesquisadores recrutaram 60 voluntários idosos e os dividram em 3 grupos. Um grupo participou de aromaterapia com alecrim, e o segundo com lavanda. O último grupo não participou de nenhuma aromaterapia.

Os cientistas deram a membros de cada grupo jogos de palavras como distração. Ao mesmo tempo, esporadicamente pediram aos participantes para se envolverem em testes de memória complexos.


Curiosamente, os participantes do grupo da lavanda tiveram o pior desempenho. Aqueles que não participaram da aromaterapia tiveram um desempenho na média, e o grupo do alecrim teve um aumento “estatisticamente significativo” em sua função de memória.

Sua memória aumentou 75%.


Conexão com o Alzheimer

cientistas-descobrem-que3

Os compostos presentes no alecrim realmente interagem com o cérebro de uma forma semelhante aos medicamentos de Alzheimer convencionais. Um desses compostos é chamado 1,8-cineol.

1,8-cineol funciona através da inibição da acetilcolinesterase – uma enzima que decompõe um neurotransmissor chamado acetilcolina. Para um doente de Alzheimer, esta inibição tem o efeito de retardar a perda de memória drasticamente.

De fato, pesquisadores de outro estudo observaram o seguinte sobre 1,8-cineol:

Todos os pacientes apresentaram melhora significativa na função cognitiva …. Em particular, pacientes com Alzheimer apresentaram melhora significativa nos escores totais.


Por que Aromaterapia?

Aromaterapia passa a ser uma ótima maneira de ingerir substâncias medicinais. Quando você engole uma pílula, as moléculas benéficas têm de viajar através de seu fígado. Muitas dessas moléculas simplesmente são filtradas.

Com aromaterapia, por outro lado, essas moléculas passam facilmente pela corrente sanguínea e fazem o seu caminho até o cérebro.

É por isso que, quando os pesquisadores da Universidade de Northumbria estudaram amostras de sangue dos participantes do estudo, observaram vestígios de óleo de alecrim.

cientistas-descobrem-que4

Implicações

Os medicamentos de Alzheimer convencionais têm uma série de efeitos colaterais, incluindo:

  • Perda de apetite
  • Náusea
  • Vômitos
  • Dores de cabeça
  • Fadiga
  • Insônia

Além do mais, como Dr. Chris Van Tulleken compartilha, estes medicamentos convencionais – como acontece com muitos produtos farmacêuticos – podem deixar os pacientes sentindo-se impotentes.

Os tratamentos alternativos como alecrim, por outro lado, têm muito menos efeitos colaterais e podem ajudar os pacientes a se sentirem mais envolvidos em seu tratamento.

O importante agora é que os pesquisadores continuem a estudar tratamentos alternativos de Alzheimer para descobrirem como eles podem ser integrados com o conhecimento médico moderno para ajudar os pacientes.

___

Traduzido pela equipe de O SegredoFonte: David Wolfe





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.