4min. de leitura

Em 20 dias, mulher constrói casas com garrafas PET para famílias necessitadas

Nossas casas são um dos nossos bens mais preciosos  e ainda assim um dos que menos valorizamos.


Muitas vezes, nós nos esquecemos de que milhares de pessoas no mundo inteiro não possuem um teto nem um lugar para voltar depois de um dia de muito cansaço.

Sempre reclamamos das coisas que não estão do nosso agrado e não reconhecemos que, mesmo com os seus defeitos, nossas casas seriam verdadeiros palácios aos olhos daqueles que não conhecem o conforto de um lar.

Quem sabe a história de hoje o ensine a olhar para a sua casa de forma mais positiva e com gratidão.


Casas de Botellas

Ingrid Vaca Diez é uma advogada boliviana que sempre se solidarizou com as pessoas que não tinham casa e decidiu colocar em prática uma linda ação social que combina amor e dom para transformar a realidade de vida dessas pessoas.

Ela fundou o projeto Casas de Botellas, que tem como principal objetivo construir casas com materiais reutilizáveis, além de reduzir a poluição plástica de maneira eficiente. Para a construção dessas casas, a advogada usa como matéria-prima garrafas de vidro, plástico, cimento, cal, areia, sedimentos e resíduos orgânicos.


A primeira casa

A primeira casa construída por Ingrid foi em 2000. A obra mede 170 metros quadrados e consumiu aproximadamente 36.000 garrafas PET. Sua meta atual é construir uma casa em apenas 20 dias, contando com a ajuda dos futuros moradores.

Nesses 19 anos, são mais de 300 casas entregues, as quais transformaram a vida de muitas pessoas em países, como Argentina, México, Panamá, Uruguai e Bolívia. O Brasil também está na lista de Ingrid, especialmente por ser um país de vasta cultura de reciclagem, o que facilita a coleta de garrafas PET, como ela mesma diz.

“Essa é uma ação de valor inestimável, todos nós deveríamos ter um lar, um lugar onde possamos sentir-nos seguros e reunir nossas famílias e pessoas. Infelizmente, esse direito é negado a muitas pessoas, mas perceber que há um esforço de alguma parte da população para que essa realidade se transforme é algo muito especial.”

Em todos esses anos, Ingrid ajudou a devolver dignidade e esperança a muitas pessoas por meio de suas ações, e deve ser reconhecida por isso. Que esse senso de empatia e de amor ao próximo seja cada vez mais comum e que sempre possamos fazer algo para aliviar a carga daqueles que mais precisam.

Compartilhe essa incrível iniciativa em suas redes sociais!

 

*Com informações de Nation.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos. Direitos autorais das imagens utilizadas no texto: reprodução.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.