publicidade

Menininha de 4 anos, com síndrome de down, torna-se modelo de campanha de natal de marca de bonecas

Representatividade é um tema muito importante e cada vez mais marcas estão fazendo dela uma parte real de suas campanhas publicitárias.



Recentemente, uma marca norte-americana de bonecas para meninas chamada American Girls deu um grande exemplo ao estrelar um modelo de 4 anos, com síndrome de Down, em sua campanha de Natal.

A American Girls escolheu o mês de outubro para trabalhar a diversidade em suas bonecas, indo além dos padrões e criando modelos com os quais todas as meninas possam se identificar, e para divulgar essa campanha tão bonita, também optou pela diversidade e escolheu Ivy Kimble, uma menina com síndrome de Down para estrelar as peças publicitárias.

A mãe de Ivy, Kristin Kimble, contou que a menina e suas três irmãs foram a uma chamada de elenco, em Chicago, na qual Ivy foi selecionada. Na sessão de fotos, a menina estava “conversando com todo mundo” no trailer de cabelos e maquiagem. Meses depois das filmagens, Kristin foi avisada de que as fotos de sua filha haviam sido selecionadas.


Eu fiquei tipo “Oh, meu Deus, ela conseguiu!”, contou a mãe.

A porta-voz da American Girl, Julie Parks, disse estar “emocionada” por trabalhar com Ivy: “Ela é adorável e ótima para trabalhar, e as fotos que capturamos com ela [para nossos catálogos] são lindas”, contou Parks em uma resposta por e-mail ao USA Today.


Kimble disse que sua filha ser levada aos holofotes é um “grande passo na direção certa” para crianças e adultos com deficiência, que estão “sub-representados” na mídia. “Você precisa se sentir representado no mundo. Você precisa sentir que tem um lugar no mundo. E acho que é tão importante ver isso”, disse ela.

Kimble está muito orgulhosa da filha, mas já esperava que ela fosse fazer sucesso: “Ivy tem essa personalidade magnética. Sinto que você não pode conhecê-la e não se apaixonar instantaneamente por ela […]. Todo mundo a ama”, disse a mãe ao USA Today.

Confira o vídeo (em inglês) de uma entrevista de Ivy e sua mãe a um programa norte-americano: 

Apesar do orgulho da filha e da alegria, Kimble sabe que ações como essas devem se tornar normais, e sonha um dia não precisar “comemorar” esse tipo de coisa, porque todos precisam se sentir identificados e representados.

“Está começando uma conversa em todos os lugares sobre inclusão. […] Isso mostra que estamos vivendo em um tempo em que isso é necessário e é ótimo que esteja acontecendo”, disse ela.

Realmente, como disse Kimble, a inclusão precisa ser mais trabalhada em nossa sociedade. As pessoas precisam enxergar todos como semelhantes, e aqueles que possuem algum tipo de “diferença” precisam se enxergar representados e valorizados, isso é fundamental para que possamos construir uma sociedade mais justa e saudável para todos.

O que você pensa sobre ações como a da empresa American Girls? Comente abaixo sua opinião e compartilhe o artigo em suas redes sociais!

 

 Direitos autorais das imagens utilizadas no texto: reprodução.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.