ColunistasReflexão

Morando sozinha… – de casa nova!

morar

#SerieNova #DeCasaNova – Leia ouvindo: Mondo Cozmo – Shine



Não foi uma decisão tão simples de tomar, mas eu já não cabia no meu próprio espaço. Eu transbordei, minhas coisas transbordaram e no meio de uma vida confusa e corrida decidi procurar um novo lugar para transbordar.

Mudar faz bem. Mudar nos faz ver o quanto precisamos transbordar para entender mais sobre acumular. Acumular em todos os sentidos que se pode imaginar, coisas, pessoas e principalmente sentimentos. O novo precisava chegar e se acomodar, mas em que espaço? Se a gente não dá espaço, o novo não chega e nem o que a gente mais deseja acontece.

Aceitar que é preciso mudar já é uma mudança. O resto é choro livre e mão na massa! Já era hora, um apartamento novo. Escolher foi fácil, com mais vista, um pouco mais de espaço e organizado. Coloquei meus últimos 11 anos em caixas. Tinha acumulado mais roupas e sapatos do que móveis, o que dessa vez eu gostaria de mudar, mais viagens, móveis e obras de arte. Um equilíbrio necessário ao meu ver!


Não derramei uma lágrima se quer colocando parte da minha vida até ali em caixas, a sensação era de alívio. Precisava mudar, reorganizar as prioridades e a vida, como um todo. Pratiquei com louvor o desapego por coisas e vi que o vazio maior estava no ser. Havia conquistado muito até ali, mas era hora de bater as asas e voar para um novo lugar.

E mudar mexe com a gente. Mexe na mais profunda ferida e até ameniza a mais intensa dor. Talvez seja por isso a necessidade de acumular coragem e na primeira oportunidade ir. Você vai perceber que a ruptura com o antigo é natural e pouco brusca. O mudar se torna quase que uma necessidade física.

Assim sendo, eu fui! Fui abraçar um novo espaço com a minha vida, meus móveis e minhas tantas caixas. E nesse nem um mês de apartamento novo algumas boas decisões foram tomadas, outras mudanças necessárias vieram a tona, entre elas a vontade de ter um apartamento realmente novo. Que tal um projeto de arquitetura e decoração para ele? E dai me veio o medo, a minha agenda louca e o tempo, já já é 2017, amor!

No meio de tanta certeza, bagunça e confusão, o projeto de arquitetura e de-coração, vem ai! Entre caixas e paredes quebradas eu sigo morando acampada em minha própria casa. O motivo é bom! A primeira de uma lista de mudanças.


Ah, e fica uma dica, listas são necessárias, etiquetas que sinalizam caixas, sacos e afins, também!

Se não estamos arrasando, talvez estejamos arrasados!

Artigo Anterior

Mil vezes amor!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.