Comportamento

Pai faz filha caminhar 8 km, sob frio de 2°C, até a escola, porque praticou bullying

O pai recebeu muito apoio à sua atitude compartilhada nas redes sociais. Entenda!



O bullying, embora seja uma prática negativa, é bastante comum em locais de convívio público, como as escolas. Todos os dias, muitas crianças que não se encaixam em determinados padrões são alvos de piadas de colegas e até superiores, algumas vezes.

Para combater esse grande mal, é muito importante que as crianças recebam orientações dentro de casa, de seus pais e familiares, para aprender desde cedo a tratar todos com respeito.

Matt Cox, um pai que valoriza muito a educação de seus filhos, tomou uma atitude drástica para cortar pela raiz os maus comportamentos de um deles. Segundo contado pela People, Kirsten, à época com 10 anos, foi suspensa pela segunda vez do ônibus escolar por praticar bullying.


Na primeira vez em que isso aconteceu, ele colocou a filha de castigo, deixando-a longe da sua televisão. Ele imaginou que isso seria suficiente, mas ficou surpreso ao perceber que, aparentemente, a filha não havia aprendido com o próprio erro.

Quando ficou sabendo da segunda suspensão, Matt, ao invés de levá-la para de carro para a escola, aproveitou a oportunidade para ensinar à menina uma grande lição: ele a fez caminhar 8 km, sob um frio de 2°C, até a escola. A punição durou três dias.

Matt, que afirmou que “o bullying é inaceitável”, especialmente em sua casa, compartilhou no Facebook imagens da filha caminhando, as quais foram vistas milhões de vezes.

Sua intenção era mostrar aos amigos e familiares que “só porque amamos os nossos filhos e faríamos qualquer coisa por eles não significa que temos de fechar os olhos para suas ações”.


Milhares de pessoas comentaram na publicação do pai, muitas delas apoiando a sua decisão e concordando que era uma ótima maneira de criar a filha e de lhe ensinar lições de que ela jamais esquecerá.

Sobre algumas críticas que também recebeu, Matt afirmou que não acreditava que tinha exagerado, ressaltando que a filha nunca esteve em perigo, porque ele a acompanhava de carro.

Direitos autorais: reprodução People.

Sobre a reação da menina, ele disse que Kirsten ficou muito chateada no primeiro dia de punição, mas logo percebeu que foram as próprias ações que a colocaram naquela situação, e concordou com a decisão tomada pelo pai.


O homem não fazia ideia de que a publicação viralizaria, mas espera que sua atitude faça com que as pessoas repensem sobre a prática do bullying.

Matt ainda disse que muitas crianças acham que as coisas que os pais fazem por elas, como levá-las à escola todas as manhãs, são um “direito” e não um “privilégio”, e ficou determinado a ensinar à filha a reconhecer os seus privilégios. Com toda certeza, essa experiência acompanhará a menina para sempre e a fará repensar todas as vezes em que cogitar desrespeitar alguém.

Pai assume a guarda do filho e diz: “É machista pensar que ele deveria estar apenas com a mãe”

Artigo Anterior

Vendedor de sopa, que chorou por ser ameaçado e humilhado, esgota estoque em 20 minutos!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.