4min. de leitura

“A comida é um presente de todo o universo. A terra e o céu colaboram para levar cada garfada à sua boca.”

A arte de comer

Nas dimensões do espaço e do tempo, mastigamos em ritmos, assim como respiramos. Mantendo as vidas de todos os nossos ancestrais, abrimos um caminho ascendente aos nossos descendentes.



O monge Thich Nhat Hanh, em seu livro “A arte de comer”, diz que gosta de recitar o verso acima enquanto come. Ele emprega o tempo de comer para nutrir não apenas o corpo, mas também a mente. E para isso é preciso desenvolver a atenção plena.

Atenção plena, ou Mindfulness, é estarmos conscientes do que estamos fazendo. Assim como trabalhar, caminhar, conversar, etc., a atenção plena também deve estar presente ao nos alimentarmos. Se estamos com uma fruta na boca, por exemplo, nossa atenção deve estar completamente voltada para a fruta. Se estiver pensando em outra coisa, como trabalho e contas para pagar, tente se desligar e focar somente na fruta, ou em qualquer outra coisa que estiver comendo.

Quando o pensamento começa a divagar, perdemos a atenção no momento presente e não fazemos mais nada de forma consciente. 

Em uma refeição, por exemplo, tudo o que precisamos fazer é respirar e desfrutar dos alimentos. Saborear é um grande gesto de agradecimento, não somente a quem preparou, mas a toda natureza que está envolvida e contida em tudo o que comemos. No entanto, infelizmente, é comum ocorrer o contrário.


Quantas vezes nos alimentamos reclamando do alimento e preocupados que ele vai nos engordar ou fazer algum mal? Já parou para pensar quanta energia ruim desprendemos quando estamos comendo com culpa e com a mente voltada para a atividade física que teremos que fazer para queimar as calorias consumidas, ao invés de comermos com satisfação e agradecimento?

Mesmo que escolha comer um alimento menos saudável, desfrute do momento presente. Deixe para pensar em como poderá “compensar” no momento posterior, de preferência quando estiver se exercitando.

Não mastigue preocupações, raiva, ansiedade, etc. Mastigue apenas o alimento. 

A consciência plena também deve estar presente quando preparamos os alimentos para uma refeição junto aos entes queridos. Quando cozinhamos com atenção e amor, focados no que estamos fazendo, tanto o ato de preparar quanto o ato de alimentar fica mais gostoso.


A comida é um presente de todo o universo. A terra e o céu colaboram para levar cada garfada à sua boca. Vamos manter essa consciência viva enquanto mastigamos e engolimos os alimentos. Quando estamos presentes no momento que nos alimentamos, podemos nos sentir naturalmente satisfeitos com menos comida. E assim chegamos ao equilíbrio.


 As cinco contemplações citados no livro “A arte de comer” são: 

  1. A comida é um presente da Terra, do céu, de inúmeros seres vivos e de muito trabalho, duro e amoroso.
  2. Devemos comer com consciência plena e gratidão para merecermos a comida que recebemos.
  3. Devemos reconhecer e transformar as formações mentais perniciosas, especialmente, a gula, e aprender a comer com moderação.
  4. Devemos manter nossa compaixão viva, comendo de maneira a reduzir o sofrimento dos seres vivos, evitando contribuir para a mudança climática, curando e preservando nosso planeta.
  5. Nós aceitamos essa comida para nutrir nossa irmandade, construir nossa comunidade e nutrir nosso ideal de servir a todos os seres vivos.

Direitos autorais da imagem de capa: themindunleashed.com

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.



Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.