A vida é feita de escolhas, conscientes ou inconscientes, melhor que seja a primeira: isso é autoliderança



Quanto mais praticado, maior o seu grau de maturidade e clareza na tomada de decisões e escolhas. Aprenda a administrar suas carências, para se relacionar de forma transparente, livre, segura e saudável, sem dependências, apegos, manipulações ou soberba. Você é responsável pelos resultados que alcançou em sua vida. Só você e mais ninguém!

Altruísmo, soberba ou autossabotagem? Se você, em algum momento da sua vida, já abriu mão de uma oportunidade que queria muito, porque segundo suas crenças, julgamentos e percepções, outra pessoa “precisava mais”, tudo bem, relaxa! O nome disso é altruísmo, além do mais, você está exercitando sua humanidade e compaixão. Algo louvável nos dias atuais.

Agora, se isso acontece com frequência, com certeza existe um sabotador interno que precisa ser trabalhado.

Sim, isso mesmo! A nomenclatura correta aqui é baixa autoestima ou um mega complexo de superioridade (soberba, “se acha demais” quando, na verdade, quem decide não é você, mas, sim, quem confere a oportunidade), completamente diferente de altruísmo ou autossabotagem.

Percebe a diferença? Não? Vejamos um exemplo mais específico:

Se você abre mão de uma oportunidade de trabalho porque sua amiga, conhecida ou prima também está na disputa, e “coitadinha” não terá outra oportunidade (segundo o seu julgamento ou percepção). Provavelmente, você está julgando o outro “desfavorecido e incompetente” ou está se achando melhor (soberba).

O problema desse raciocínio simplista, comparativo e arrogante, é que percepção não é fato, uma vez que esta decisão pertence a quem confere a oportunidade. É ela quem define os requisitos para a escolha e não você. Entendeu agora? 

Tem também, aqueles que priorizam as conquistas alheias, sacrificando as suas, em nome da “boa convivência” (segundo suas convicções). Estes são os famosos “bonzinhos” (pseudo-altruístas), vivem em função dos outros e depois, transformam suas boas ações em cobranças e manipulações. Pessoas boazinhas e muito solicitas são inseguras e tendem manipulação. Não sabem dizer um não, não se posicionam assertivamente, fogem do confronto (positivo) quando necessário. O pior é que costumam cobrar o retorno, como se isso fosse uma OBRIGAÇÃO!

Pessoas boazinhas não existem! Isso é uma fábula criada pelo sistema para condicionar comportamentos convenientemente tachados como “respeitosos” formatando pessoas submissas facilmente manipuláveis (massa de manobra).

A palavra “boazinha” na verdade é apenas um pseudônimo elegante utilizado de forma errônea para camuflar sentimentos de insegurança, submissão, inferioridade e diversas crenças limitantes.

Agora, se você abre mão da oportunidade por acreditar que não possui nenhuma chance, pois o senhor fulano de tal é mais capacitado (de acordo com sua visão ou percepção), com certeza você desconhece seu potencial e habilidades. Não acredita que merece ou essa a altura, está com medo do sucesso ou frustração, as possibilidades são infinitas. Provavelmente, problemas de baixa estima. Seja como for, são mecanismos de defesa também conhecidos como autossabotagem, que é a capacidade de recusar as oportunidades conferidas em função da crença do não merecimento, causada por uma percepção distorcida de si mesmo. Resultado de vivências traumáticas, condicionamentos familiares, culturais, religiosos e sociais.



Agora pense um pouco e responda: Já se relacionou com algum desses perfis ou identificou algumas características em si mesmo?

Saiba que ninguém deve nada a você, e o contrário também é verdadeiro! Gratidão é um sentimento e não um contrato de submissão ou reciprocidade.

É essencial que entenda isso, para não sucumbir aos JOGOS EMOCIONAIS. Aprenda a lutar por aquilo que deseja, se for preciso, com “unhas e dentes”. A vida é feita de escolhas – sejam elas conscientes ou inconscientes – melhor que seja a primeira- o nome disso é autoliderança.   Como?

Revise suas crenças e valores, suas prioridades sempre que possível, mergulhe fundo nos motivos dos seus comportamentos. Seja sincero (a) e lúcido (a) quanto suas intenções.

Dessa forma você perceberá com clareza seus mecanismos de autossabotagem. O nome disso é autoconhecimento! Quanto mais praticado, maior o seu grau de maturidade e clareza na tomada de decisões e escolhas. Aprenda a administrar suas carências, para se relacionar de forma transparente, livre, segura e saudável, sem dependências, apegos, manipulações ou soberba. Você é responsável pelos resultados que alcançou em sua vida. Só você e mais ninguém!

Então, pare de sacrificar suas conquistas em nome dos outros ou faça de forma genuína ou não faça. Saía do papel de vítima e ASSUMA O COMANDO da sua vida!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123rf / citalliance

 






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.