Pessoas inspiradoras

Enfermeiro que lutou por direitos de pacientes com covid morre repentinamente. Uma grande perda!

Capa Enfermeiro que lutou por direitos de pacientes com covid morre repentinamente

Enfermeiro Massimo Colombi liderou a campanha pelo direito de dizer adeus de forma digna. Lutou contra a pandemia até o último dia de vida e morreu de forma repentina, em casa.



Durante meses de pandemia, já se tornou corriqueiro escutar notícias de pessoas que determinaram padrões e se foram. São artistas, escritores, médicos, enfermeiros, dezenas de profissionais exemplares, que não conseguiram vencer a batalha contra a covid-19 e deixaram apenas seu belo trabalho para trás.

Na frente de todo combate estão os profissionais da saúde, poucos deles são ilustres, mas a grande maioria demonstra coragem e determinação, que deveriam ser seguidos por todos nós. Desde o começo da emergência, em março deste ano, várias famílias passaram pela triste realidade de não poder se despedir dos entes queridos, porque todo contato com pacientes graves é vedado.

Esse tipo de abordagem necessária, porém desumana e dolorosa, impede-nos de fazer uma despedida digna. O mais brutal é que nem mesmo os cemitérios dão esse direito. Com a política de caixão fechado e sepultamento reduzido, nem a cerimônia de despedida supe sua função.


Consternado com essa medida, o enfermeiro Massimo Colombi foi um dos que lutaram por meses para que essas pessoas tivessem o direito de se despedir de familiares e amigos.

Italiano de nascença e atuante em Málaga, na Espanha, Massimo era uma voz forte para a necessidade de uma despedida mais humana e formal. Ele liderava a campanha “O direito de dizer adeus”.

2 Enfermeiro que lutou por direitos de pacientes com covid morre repentinamente. Uma grande perda

Direitios autorais: reprodução Facebook/Massimo Colombi. Reprodução Twitter/@HRegionalMalaga.

O enfermeiro não advogava para que as famílias pudessem visitar os pacientes, mesmo porque ele levava as medidas de biossegurança bem a sério, mas sua intenção era que quem estivesse em situação grave pudesse entrar em contato com os familiares.


A luta dele funcionou e atualmente vários hospitais mundo afora disponibilizam tablet e celulares para as famílias conversarem com os pacientes e poderem se despedir de forma um pouco mais digna.

Nas últimas semanas, Massimo fazia tour por estações de rádio pedindo às pessoas que se conscientizassem e não se aglomerassem no Natal. Na frase mais forte dele, Massimo pedia às pessoas para não tentar salvar o Natal, mas sim que elas salvassem vidas.

Inesperadamente, ele foi encontrado morto em casa, pela esposa, que também é enfermeira. Segundo o jornal italiano Today Itália, a mulher chegou em casa, depois de um turno no hospital, e encontrou o corpo de Massimo, alvo de uma morte repentina, na última segunda-feira, 14. A causa só poderá ser descoberta ao final da autópsia.

Sem muitas explicações e abalados pela notícia, os colegas próximos de Massimo, do Hospital Regional de Málaga, prestaram-lhe homenagem, nesta semana. Foi respeitado um minuto de silêncio pelos feitos e lutas encampados por ele.


O que você achou deste texto?

Comente e compartilhe-o com os amigos!

Menina de 2 anos se recusa a usar máscara em avião e família é expulsa de voo!

Artigo Anterior

“É igual a nós”, diz barbeiro que mudou o visual de morador de rua que pediu lâmina emprestada

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.