Relacionamentos

Por que o segundo amor sempre supera o primeiro?

por que o segundo amor sempre supera o primeiro

Entenda o motivo pelo qual o segundo amor é tão marcante em nossa vida!



O primeiro amor é algo importante, essa experiência marca um período especial de nossa história, em que somos apresentados à empolgante missão de compartilhar um pouco de nossa vida com outra pessoa e nos ajuda a adquirir alguns conhecimentos edificantes, que nos acompanharão por toda a vida. Mas será que ele é o melhor amor que viveremos?

Se levarmos em consideração que o primeiro amor é, provavelmente, nossa experiência mais ingênua no campo dos relacionamentos, em que pouco sabemos sobre como esse sentimento é vivido no dia a dia, que a vida não é um conto de fadas, compreenderemos que nossos amores mais valiosos acontecerão mais para a frente.

Embora muitos consigam conquistar a estabilidade afetiva com seus primeiros parceiros, muitas vezes permanecendo com eles por toda a vida, para a maioria de nós é no segundo amor que começamos a entender como as coisas realmente funcionam. Isso porque, em nosso segundo encontro com esse sentimento, já temos muito mais experiência.


Por termos passado por bons e maus momentos com a primeira pessoa, entramos nesse amor com mais maturidade, estabilidade emocional e capacidade de compreender o que devemos ou não aceitar em uma parceria romântica.

Entendemos melhor como nós somos quando apaixonados, e aprendemos a respeitar os limites do outro, aceitando que cada um é senhor da própria vida. Não idealizamos mais o amor nem acreditamos que a outra pessoa já chega perfeita nem que devemos nos adaptar a ela para fazer com que fique ao nosso lado para sempre.

No segundo amor, esquecemos a ideia de que encontraremos a nossa “cara-metade”, que será absolutamente igual a nós em tudo e que teremos com ela uma vida perfeita, e absorvemos o conhecimento de que não existe conto de fadas e que precisamos estar dispostos a dar o nosso melhor todos os dias, trabalhando em conjunto para que a nossa união valha a pena.

Mostrando nossos defeitos e conhecendo os do outro, aprendemos a deixar o orgulho de lado, a nos desculpar, a nos apoiar mutuamente, assim desenvolvemos uma intimidade emocional e psicológica que jamais poderíamos conhecer em nosso primeiro amor, e que é fundamental para que o sentimento permaneça vivo depois de passada a sensação de novidade.


O segundo amor nos mostra que ninguém é perfeito para ninguém, mas que é totalmente possível vivermos felizes com pessoas imperfeitas, mas que estão dispostas a fazer a relação dar certo. O primeiro amor abre a porta para o mundo totalmente novo do romance, mas é apenas no segundo que conseguimos realmente enxergar esse relacionamento com toda a sua plenitude.

Tatá Werneck foi criticada pela diferença de idade de 12 anos para Rafa Vitti: “Idade dos sogros”

Artigo Anterior

Príncipe Harry relembrou a infância difícil: “Quero quebrar o ciclo de dor e sofrimento”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.