Comportamento

“Quando o filho precisa de algo, superamos a dor”: depois de acidente, motoboy faz entregas com muletas

Alex continua trabalhando, mesmo depois de sério acidente, isso porque não pode deixar que nada falte em casa.



Quando algo falta em nossa casa, rapidamente percebemos quão vulneráveis e frágeis somos. A qualquer momento, podemos nos encontrar numa situação de pobreza em que os itens básicos são considerados luxo. Muitas famílias estão passando por isso neste exato momento, sem saber quando será a próxima refeição, temendo pelos filhos e pedindo a Deus que lhes ofereça um trabalho honesto.

Em momentos de crise como este, é importante prestar muita atenção à nossa volta, pois pode haver famílias inteiras precisando de um simples pedaço de pão ou da doação de R$ 10, apenas para conseguir a próxima refeição. Se temos a possibilidade de doar, de ajudar ou ao menos conversar com essas pessoas, mesmo que a distância, por conta da covid-19, devemos fazê-lo.

Um caso emocionante aconteceu em João Pessoa, na Paraíba, onde um pai foi filmado fazendo entregas em sua moto, usando muletas.


É entristecedor acompanhar, por poucos minutos que seja, a jornada daquele homem que não quer que nada falte em sua casa e, mesmo depois de um acidente, continua trabalhando.

Alex Santana Silva, o entregador do vídeo, sofreu um grave acidente de trabalho há três meses, ao bater na traseira de um caminhão. Mesmo precisando usar muletas e sendo perigoso fazer entregas dessa forma, o pai precisou retornar ao trabalho ao perceber que as coisas começaram a faltar em casa.

Infelizmente, sua esposa também está desempregada, o que dificulta ainda mais a situação da família, formada pelo casal e quatro filhos, e torna também compreensível a decisão de Alex. Ele precisou passar por uma extensa cirurgia, que lhe exigia repouso por, no mínimo, seis meses. Mas as necessidades fizeram com que ele voltasse na metade do tempo previsto ao trabalho.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@alex_isaias1.


Alex sabe que, se “cair” numa fiscalização de trânsito, pode perder sua moto, única ferramenta que garante o sustento de sua família no momento.

Mas o que fazer diante dessa situação? Ele explica, no vídeo compartilhado por Rivanildo Atitude, no Instagram, que não suporta ver um filho precisando de algo, e não tem outra opção senão voltar a trabalhar.


 



Ver essa foto no Instagram



 

Uma publicação compartilhada por Rivanildo Atitude (@rivanildoatitude)

É um caso emocionante, que escancara as desigualdades sociais em tempos de crise. O desemprego, a fome e a pobreza caminham juntas e, em muitos momentos, as pessoas vão precisar de muita ajuda.

Rivanildo tem acompanhado o caso de Alex e uma vaquinha foi aberta para que ele retome seu repouso, sem que nada falte em seu lar.

O que você achou dessa comovente história?

Comente abaixo e compartilhe-a nas suas redes sociais!

“Meu filho se sente uma menina”: mãe revela novo gênero de criança de 6 anos na internet

Artigo Anterior

MPF aciona a Justiça Ana Paula Valadão por declarações contra gays e pessoas com HIV

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.