Esforço ou entrega? Como lidamos com a nossa vida?

Lembra de quando você era pequeno e em algum ou alguns momentos você queria algo, e este querer insistente o deixava triste, frustrado, e você tinha uma certa ansiedade por querer ter aquilo o quanto antes, no seu tempo e na sua hora?

Tem gente que cresceu e continua assim. Querendo que seus desejos se realizem a qualquer custo, sem dar o tempo necessário.

Ou às vezes a hora já chegou e a pessoa ficou tão focada na insistência e na falta, que parece que não mereceu e tudo se perdeu no caminho.

A volta ou o encontro com um amor, o resultado da dieta, o emprego desejado, o projeto não aprovado, uma competição com resultado negativo, baixo rendimento nos estudos, mesmo com esforço e dedicação, a melhora no estado de saúde. São muitos os exemplos possíveis de citar.

Ficamos aprisionados na tensão, na angústia, na decepção. Ficamos doentes, estressados, passamos mal.

A vida segue e a gente não enxerga muito se há progresso. Estamos com pressa e nem sequer notamos que as coisas acontecem de forma atemporal, nem sempre com data marcada. 

Em algumas situações estamos com a energia tão obscura e os canais tão bloqueados por causa do esforço em obter algo, que não permitimos que o que planejamos e almejamos faça-se realidade.

Queremos mostrar para os outros, para o Universo, para nós mesmos que estamos trabalhando, focados como se isso fosse o certo.

Voltamos nossa energia o tempo todo na ação presente, sem lembrar que o certo é visualizar as coisas acontecendo e dando certo. E podemos usar nossa imaginação e criatividade ilimitadas para já viver no sonho realizado.

Estou cavando um poço não contando com o número de “pazadas” que dei, nem os calos nas mãos e o suor do rosto, mas já estou vendo a água vertendo, límpida e abundante.

É aí que mora a diferença. Você está focado em cavar ou na água já brotando do solo?

Somos bons em interferir, em intervir e ditar como deve ser. Até podemos, mas devemos ter consciência de que não temos plenos poderes sobre as circunstâncias e como as coisas se sairão. Há um esforço que não nos compete. Ele vem da Fonte e nós tomamos esta força para nós e aí tudo paralisa ou então, demora.

É claro que para as nossas realizações e conquistas é necessário planejamento, trabalho, determinação, espera, mas precisamos entender que não estamos sozinhos, dependemos, sim, de pessoas, das condições do tempo, e de vários outros fatores que vão além do nosso domínio.

A partir do momento em que nossa alma, nossa mente e nossos objetivos se alinham, a vida cria as possibilidades para que as coisas deem certo.

Conseguimos ir cada vez mais longe ou fazemos as coisas chegarem até nós de forma tranquila. Aí aprendemos o que significa entrar no fluxo.



Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: gaudilab / 123RF Imagens



Deixe seu comentário