Não leia!



“Não leia!” Foi o pedido feito, mas não atendido!

A humanidade, desde os primórdios terrestres, tem a tendência positiva em ser curiosa! A curiosidade se dá no primeiro olhar do recém-nascido, ao conhecer a sua genitora e no olhar na última despedida à pessoa amada; a curiosidade se dá em diversos momentos, dos mais simples, aos mais intrigantes; a curiosidade é direcionada ao objeto mais próximo ou à galáxia mais distante da Terra.

Enfim, é curiosa a curiosidade humana, e quanto mais curiosa e “desobediente” ela é, mais adiante ela caminha. Portanto, “não leia”!  Ser instigado à curiosidade é a melhor maneira de descobrir, desvendar o que há por trás dos bastidores!

A curiosidade leva à evolução, às invenções mais inimagináveis, às descobertas mais inalcançáveis, intangíveis, inacessíveis; a curiosidade leva ao que não tem tanta serventia, mas também para aquilo que não podemos ignorar; para aquilo que não conseguimos ter acesso, mas também ao que está diante dos nossos olhares físicos e espirituais.

Seja curioso, leia! A sua “desobediência” ao tema desse texto possibilitou saber o conteúdo dele e talvez despertar algo em você, leitor, além da curiosidade!

A curiosidade é a chave mestra para as grandes descobertas e o impulsionador da humanidade do agora para o futuro e do futuro ao infinito, que poderá estar a incontáveis anos-luz de distância!

A curiosidade deve ser incessante, ela é o combustível da humanidade, assim como a força humana neste planeta tão grandioso e, ao mesmo tempo, tão curioso e inundado de mistérios!



Mistérios não sobreviveriam sem a doce curiosidade; a curiosidade não sobreviveria sem a humanidade! Ela necessita de um palco, de atores e plateia!

Jamais “não leia”! Jamais deixe de ser curioso! Jamais deixe de questionar! Jamais deixe de viver!


Direitos autorais da imagem de capa: Eddy Billard on Unsplash.






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.