Não prometa que é para sempre… apenas venha me beijar como se não houvesse amanhã

Mas não deixe de pensar e de fazer tudo o que puder para que seja para sempre.

Estamos todos cansados de relacionamentos que não começam, ou quando começam sabemos que não terão futuro. Estamos cansados de ter hojes que nunca se encerram, passados cada dia mais turvos e futuros que parecem já ter se tornado mitos. É algo como “Futuro? Já viste? Já viveste um? Planejou algum? Não.”

Termos hojes que nunca terminam está nos deixando doentes. Insatisfeitos. Ansiosos. Descrentes. Dá até mesmo para entender porque não somos eternos. Na eternidade só há hojes. Portanto, já percebo que é mesmo melhor que a eternidade não nos tenha alcançado, de fato.

Não prometa que é para sempre. A eternidade não existe. Vêm rasgar esse véu que nos separa e me beija como se não houvesse amanhã.

Vamos fazer de conta que o hoje é para sempre e será assim todos os nossos dias e noites. A noite pode ser tão pouco e faremos de conta que durará para sempre. Daremos cabo do medo que temos do tempo e nos libertaremos das horas e dos minutos.

E é justamente aí, nesse momento, que nos perdemos.  Nada é para sempre. Nem o tempo. Pelo menos não para o nosso cérebro. Ele se esgota. O nosso coração endurece.  Nossa alma escorre entre os nossos dedos. Perdemo-nos.

Na ânsia de nos libertarmos do tempo, nós nos agarramos ao hoje e isso está a nos consumir. Um hoje precisa terminar. Nada vai durar para sempre, enquanto não aceitarmos que é preciso que se criem passados, que se viva hojes e nos ocupemos a sonhar com o futuro.

Não prometa que é pra sempre se no seu para sempre só há o hoje. Isso não é para sempre. Isso é enganar. Tentar amarrar o outro a um barco que está a afundar. É uma história de um só parágrafo. E mesmo que a gente disfarce, vai anoitecer e amanhecer sem que a gente possa fazer nada a respeito.

Então, o tempo vai passar. Como sustentar um futuro que não existirá porque entrega apenas o seu hoje?

Vamos aceitar que nos entregar de verdade é o que de melhor podemos fazer pela nossa sanidade. Há sempre um caminho de voltar. Um lugar para onde ir quando não dá certo. Há sempre paz em algum lugar. Alguém que possa fazê-lo sorrir e conviver com o que deve se tornar passado. É isso que nos faz humanos e nos ensina empatia, que nos ensina a amar e a amadurecer.

Nós somos as escolhas que fazemos. Não somos? Esconder para quê? Desviar do assunto? Ninguém quer admitir que são as escolhas ruins que fazemos que nos dão a capacidade de fazer escolhas melhores.

A aventura toda está aí. Por que permanecer só mesmo que esteja acompanhado?

Vem que o amor não é o tempo, e nem é o tempo que o constrói, mas é o momento que nos tornamos um que vai nos dar a energia de pensarmos sobre futuros possíveis.

Acalme o coração no meu peito e vem viver de verdade, é a única promessa que podemos fazer. Pra gente mesmo.

Não prometa que é para sempre, mas corra o risco, saia na chuva, desfrute dos momentos, sonhe, planeje, faça rascunhos e escreva algo que tenha futuro. Eu admito que pode dar tudo errado. As chances são imensas. Mas não teríamos mar se não pudéssemos mergulhar nas suas águas.

Não teria o amor se não pudéssemos vivê-lo, nem que não seja para sempre, mas que seja essa a nossa motivação.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site o site O Segredo: 123rf / teksomolika



Deixe seu comentário