O poder do pouco

Você já tentou mudar algum hábito? Já pensou em iniciar alguma nova boa prática em sua vida? Se você já teve de lidar com dietas alimentares, ou teve de enfrentar maus hábitos que estivessem destruindo sua saúde, seu relacionamento ou modo de vida, talvez você entenda o quão difícil é mudar algo de forma drástica em nossas vidas.

Entendendo o processo de mudança

A palavra hábito vem do Latim habitus, “condição, comportamento”, particípio passado de habere, “ter, segurar, possuir”. Que a partir do século XIV adquiriu o sentido de “prática costumeira”. Ou seja, um comportamento que alguém aprende e o repete com frequência.

Nosso cérebro está condicionado a aprender, a se acostumar com algo. Somos os seres vivos com a maior capacidade de adaptação neste planeta, o que fez de nós capazes de viver em todos os lugares, sob as mais diferentes adversidades. E daí criamos nossos hábitos, sejam eles bons ou ruins.

Um hábito não é apenas aquele péssimo cardápio que escolhemos, aquela péssima prática de fumar, beber ou qualquer outra escolha prejudicial em nossas vidas. Hábitos incluem ver a vida de forma pessimista, a até difamar tudo e todos à nossa volta. São também a forma como vemos o mundo e como reclamamos dele todos os dias. E, às vezes, já o fazemos até sem perceber por já ter se tornado um comportamento, uma condição diária, e é assim que criamos mais um hábito.

E como mudar um hábito ruim de um dia para o outro?

Você acha que conseguiria mudar tudo em sua vida de uma vez?


O poder do pouco

Já observou como engenheiros, em grandes obras, movem aquelas gigantescas pedras? Eles as quebram em pedaços menores, o que minimiza o esforço e facilita todo o processo.

Mudar qualquer hábito de uma vez é como tentar carregar uma grande pedra sozinho. Nunca foi uma boa ideia. É doloroso. É uma luta solitária que pode ser evitada usando um poder que você já possui: o poder de fazer pouco a pouco até se tornar um novo hábito.

Tudo o que você faz em seu dia a dia não surgiu de repente. Você criou esses hábitos, baseado no que viu durante sua vida e nas pessoas que sempre estiveram ao seu redor.

E se levamos tempo para desenvolvê-los, precisamos também de tempo para mudar. Mudar devagar, um pouco todos os dias. Um cigarro a menos. Uma bebida a menos. Uma caminhada a mais. Um dia sem reclamar do trabalho ou da família.

E, assim, a cada nova pequena mudança, celebre!

Comemore após ficar uma semana sem pensar naquela pessoa que o fez sofrer. Celebre ao conseguir ir pelo menos uma vez a mais à academia. E, a cada vitória, aumente o passo e comece a criar novos hábitos.

Seja dono de suas escolhas e faça delas um elemento transformador em sua vida. E sempre, aos poucos, porque a vida é como uma maratona e não uma disputa dos 100 metros.

Abraços e boas escolhas!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123rf.com / thesupe87



Deixe seu comentário