O silêncio sempre foi o mestre dos mestres, sempre foi o guia da mente



Depois de todo o caos, há a mudança. E dentre esse tempo há o silêncio profundo da reflexão dos envolvidos e do mundo ao redor. Chega de gritos!

É como a alma que está aprendendo a deixar o corpo nos últimos minutos. É como o corpo que para de chorar depois de ter nascido.

Chega de dizer que manda em tudo, porque somos passageiros. O poder nos é dado perante a nossa jornada e missões particulares. Todo o resto é viagem do ego.

Assim, deveríamos aprender durante toda a vida. Assim nós lutamos contra nossas palavras e as palavras alheias, porque as palavras são o poder de mudar a própria liberdade e as liberdades de pensamentos.

Parte da batalha está em limpar os nossos pensamentos. Seja da inverdade ou da negatividade. Parte de toda a forma de vivenciar neste mundo precisa ser refletido. Nós somos as nossas próprias mudanças e memórias. Mas o que somos sem toda interferência externa? O que somos como consciência da Vida e parte deste Universo? Quando não estamos cientes de fato disso, nós podemos ser qualquer coisa e podemos ser qualquer medo que eles diriam que éramos. E nos tornamos, facilmente, vítimas de nossos pensamentos.

Virtue o silêncio. O Silêncio o protege de arrependimentos e o protege de desequilibrar sua energia para quem espera seu barulho. O silêncio sempre foi o mestre dos mestres. Sempre foi o guia da mente.

A mente em silêncio não sofre por ansiedades e é uma catalisadora de energia.

Pratique o silêncio, desde meditar ou aprender a se afastar de determinadas coisas, ou apenas a aprender a controlar e a desviar seus pensamentos para outras áreas que não possam interferir em sua energia para outros propósitos. Que possamos desviar nossa mente de pensamentos negativos e que possamos ver o lado bom das coisas.

Qualquer situação que exija maior concentração e energia de nós, precisa passar pelo silêncio e não pela euforia. Pois é no silêncio que podemos mudar a nossa vibração.



Lembre-se que o tempo passa de qualquer forma e que parte do que está a nossa volta não é compreendido por não darmos a capacidade de concentrar nossos pensamentos em cada detalhe.

E por quê? Porque estávamos deixando nossa concentração em burburinhos, em vozes altas que não servem para nada, apenas confirmar como a mente humana é viciada em barulho, quando deveria estar viciada em aprender consigo mesmo.

Nossa consciência pede silêncio pela vontade de procurar paz. Porém, é fácil confundir isso olhando para os lados ou para conflitos internos.

Nessas horas que está o poder de silenciar a mente para tomar um rumo e se dar uma nova morada. Nesse momento que a vibração da calma deve se expandir pelas certezas e não pelos medos.

Qualquer consciência da vida é convidada a se aprimorar e precisa fazer isso de forma sã. E não há nada mais sensato do que buscar a se  entender cada vez mais. Quando fazemos isso, nós estamos aprendendo a respeitar o tempo das coisas e de fato ter paciência com o nosso próprio tempo.

Nós, simplesmente, precisamos nos calar para podermos ouvir a “voz” do Universo e o que ele tem a dizer a nós. 


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123rf / anekoho






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.