8min. de leitura

Use as emoções negativas a seu favor: frustração

A frustração serve de alerta para tomarmos uma atitude em relação a determinada situação de que desgostamos.


Como todos os seres humanos deste planeta, com certeza você já se sentiu frustrado, talvez hoje mesmo já tenha passado por um momento de frustração. Mas se esse sentimento é tão ruim, por que ele existe mesmo?

A frustração acontece quando a situação que vivemos é diferente da que esperávamos. É uma resposta emocional que surge quando alguns desejos e expectativas nossos não foram cumpridos, está muito relacionada ao sentimento de decepção. É um descompasso entre as suas expectativas e a realidade. A frustração serve de alerta para tomarmos uma atitude em relação a determinada situação de que desgostamos. Nesse sentido, ela provoca uma reação, estimulando-nos a nos reaproximar dos nossos desejos e expectativas. A partir das experiências de frustração, é possível aprender, crescer e criar novas e melhores formas de agir no mundo.

Aspectos da frustração

Agora, existem alguns aspectos comuns entre as pessoas que frequentemente sentem frustração. Veja se você se identifica com algum ou alguns deles:


1. A pessoa percebe as situações vividas de forma distorcida, só conseguindo enxergar o lado negativo desses fatos, e não como eles realmente são.

2. A pessoa tende a querer controlar todos os acontecimentos, numa busca incessante e irreal da perfeição.


3. A pessoa se sente incapaz de suportar o desconforto, que implica enfrentar situações que não correspondem às suas expectativas, por isso se frustra facilmente.

Mas existem antídotos para lidar com cada um desses aspectos:

No caso de perceber os acontecimentos apenas pelo seu lado negativo, é necessária uma mudança de perspectiva. Não é fácil mas, com a prática, você conseguirá aprender a ver os dois lados de cada caso. Lembrando que a realidade não é boa ou má em si mesma, mas que, como vimos no artigo anterior, é a nossa percepção que determina a nossa realidade.

Para quem tende a ser controlador ou a buscar a perfeição em tudo, o antídoto é a aceitação, saber que ninguém é perfeito, que a perfeição em si não existe (o que é perfeito para mim não é para você, e tudo bem), mas que podemos, sim, dar o melhor de nós em cada situação e, se algo der errado, aprenderemos com isso e seremos pessoas melhores a partir desses aprendizados.

Já para quem não suporta o desconforto das situações difíceis da vida, o antídoto é o fortalecimento da resiliência, ou seja, da capacidade de se recuperar ou se adaptar às dificuldades e às mudanças, e aprender com elas. Nesse sentido, as práticas meditativas auxiliam muito a desenvolver resiliência e a manter essa serenidade, que nos ajuda a encarar com sabedoria qualquer situação. Não significa que as dificuldades não existirão, elas sempre vão existir, mas que você conseguirá lidar com elas de maneira muito mais sábia e tranquila. Afinal, como já dizia um mestre, nós não podemos remover todas as pedras do nosso caminho, mas podemos, sim, proteger os nossos pés.

Como lidar com a frustração?

E, por falar em sabedoria, você sabe o que ela é? A sabedoria é o equilíbrio entre a nossa mente racional e a nossa mente emocional. Ambas são necessárias para lidar com os desafios do nosso dia a dia. Não podemos pender nem apenas para um lado, nem para o outro, por isso, você perceberá que a solução para colocar a nosso favor emoções intensas, como o estresse, a frustração e a ansiedade, é justamente trazê-las para o racional, não as suprimir, mas trazê-las para a sua consciência, refletindo sobre o que elas sinalizam e o que pode ser feito a respeito de cada uma. Nesse sentido, trago para você algumas dicas práticas que o ajudarão a lidar melhor com a frustração:

1. Tenha em mente expectativas realistas. Se não for algo que você pode controlar, a aceitação (que não significa aprovação) é o caminho. Não significa que você está de acordo com o que aconteceu, mas que aceita a realidade dos fatos e lidará com eles a partir disso. Tenha clareza do seu poder de atuação, tomando a responsabilidade somente pelo que lhe cabe, ou seja, as próprias emoções, pensamentos e atitudes.

Note que mesmo em uma situação que você não pode controlar, tomar a responsabilidade por aquilo que lhe cabe é sempre um ato de empoderamento. Uma vítima não tem poder, está totalmente privada dele, mas uma pessoa que toma a responsabilidade para si se empodera e pode tomar uma atitude mesmo em uma situação desfavorável e que não está sob o seu controle, seja mudar os seus planos tendo em vista um objetivo maior, ter uma reação diferente, ou aprender com a experiência para ser alguém melhor.


2. Mude a sua perspectiva, mantendo o seu foco, ou seja, mantendo o seu objetivo maior. Recorde-se de qual é o seu objetivo maior nessa situação. Por exemplo, se você esteve frustrado porque chegou atrasado para uma reunião importante, lembre-se de que o seu objetivo maior é ter uma boa reunião. Então, ficar nervoso ou remoendo o que passou só vai distanciá-lo ainda mais do seu objetivo final. Da mesma forma, se você ficou frustrado por ter se desentendido com alguém, qual é o seu maior objetivo? Ter uma relação boa com essa pessoa? Ser feliz?


3. Perceba a frustração como algo que pode contribuir para o seu sucesso, ao invés de sinalizar um fracasso. Use efetivamente os seus erros como lições para o próprio sucesso. Parece clichê, mas esta é justamente a diferença entre as pessoas “na média” e as pessoas de “alta performance”. Elas efetivamente aprendem com os próprios erros e buscam se aprimorar a cada dia.


4. Quando não houver saída, quando a situação não estiver sob o seu controle de nenhuma forma, faça planos. Quando você aceita e reconhece que algo terminou ou não deu certo, você conseguirá definir novas metas, tendo em mente o seu verdadeiro propósito.

Espero, sinceramente, que as reflexões e dicas de hoje tenham ajudado você de alguma forma. No próximo artigo, falaremos de uma emoção que, às vezes, pode nos tirar totalmente do controle: a raiva. A boa notícia é que existem, sim, formas efetivas para que você esteja no controle e não as suas emoções. Ficou curioso? Para saber mais, encontro você lá!

 

Direitos autorais da imagem de capa Zohre Nemati/Unsplash.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.