Meu querido Pai…



Não importa se seu pai está vivo ou não, se ele é jovem ou idoso, se é biológico ou não. Não importa sua condição financeira. O fundamental é o amor, o quanto ele o(a) ama, o quanto existe de parceria na relação de vocês.

Pai, no meu entender, é amizade, cumplicidade, entendimento, compreensão, é saber que, independente de qualquer coisa que aconteça em sua vida, independente das dificuldades no caminho, ele estará ao seu lado, dará as mãos a você, sempre. Quando estiver com receios, de enfrentar algo, com dúvidas, ele dirá: “Venha, meu amor, eu estou do seu lado.”

Não importa se você é criança ou já está mais velho. Ele sabe como apoiá-lo(a), ele entende seus anseios, é firme e sensível ao mesmo tempo.

Mesmo que ele não diga muito, diz tudo através do seu olhar. Ele também tem receios e vulnerabilidades, mas quer vencê-los para ser um orgulho para seus filhos.

Seu pai tem orgulho de você! Não é porque se tornou um destaque na sua profissão ou porque você tirou o primeiro lugar em um concurso, é lindo, uma pessoa incrível, mas porque você é filho dele, porque ele é seu pai.

Ele se sente um ser especial por ter gerado uma vida e poder acompanhar seus passos. Por poder participar ativamente, intensamente da sua vida. Sente como um milagre esta relação, a enorme oportunidade.

Às vezes, ele não sabe muito o que fazer, mas sofre quando vê você chorar, chateado e triste. Olha para você o(a) abraça, toca, afaga e lhe diz: “Filho(a), tudo vai passar, eu estou aqui.” Isto para nós, os filhos, são notas musicais.

Amor, cuidado, presença, preocupação, devoção, proteção, amor, participação, conselhos, abraços, carinhos, afeto, palavras doces, gentileza, respeito, beijos, companheirismo, elo, ligação, parceria, amizade. Pai e filho(a) para sempre.

Meu querido Pai,

muito obrigada pelas músicas lindas que cantava enquanto me embalava no seu colo para eu dormir. Lembro-me como se fosse hoje, era ainda um bebê, mas guardo a recordação de tamanho afeto, amor e proteção. Sentia-me extremamente protegida!



Lembro-me com enorme carinho de deitarmos em colchonetes no chão, lado a lado, para vermos TV. Nestes momentos, sentia enorme amizade por compartilharmos momentos que pareciam simples, mas para o meu coração, eram enormes, fundamentais. Andarmos descalços pela casa, seu jeito despojado e simples me ajudou a crescer valorizando o que é simples.

Só você me chamava carinhosamente de um apelido: “Tiça”. Adorava esse apelido. Nunca ninguém me chamou assim, e de forma tão doce. Um cara tão forte, tão grande, mas ao mesmo tempo tão doce!

Adorava conversar com você; às vezes, sem falar nada, dizia-me tanto. Frases curtas e tão sábias! Compreendia-me, entendia-me profundamente, como ninguém.

Eu te amo muito! Obrigada por ter sido sempre tão generoso, amigo. Quando me via chorar, você se aproximava e ficava quietinho ao meu lado. Às vezes, dizia apenas: “Eu não gosto de ver você chorando.” Isso era tudo!

Seu enorme coração sempre foi um grande exemplo para mim.

Hoje, eu lhe envio muito amor do meu pensamento, onde quer que você esteja, eu o levo em um abraço forte, em um olhar. Eu o amo, pai! Saudades de ouvir a sua voz na minha secretária eletrônica, que me deu na época, que era o meu sonho e que muitas vezes você atendia sem desligar, e ela gravava a sua voz na fita cassete, depois ríamos muito. Você foi o melhor pai do mundo!

Feliz Dia dos Pais a todos os pais que vivem a paternidade com sabedoria e alegria, que têm amor e amizade pelo seu filho. A relação “pai e filho” é construída todos os dias. O amor não morre nunca e sempre gera muitas sementes.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 4pmproduction/123RF Imagens.






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.